terça-feira, 3 de novembro de 2009

Distância de nós dois

Te trago em mim
Mesmo que há distância
Te trago sem muitos detalhes
Porque eles machucam
Te trago
Quando às vezes amargo
Te sopro pra longe daqui
E te trago de novo
Doce
Engulo tudo
Não sobra nada de você
Fora
Porque quando te trago
Pra valer
Você é eu
E nós somos um
Mesmo com a distância.

6 comentários:

Lígia disse...

(...)Desse jeito vão saber de nós dois
Dessa nossa vida
E será uma maldade veloz
Malignas línguas
Nossos corpos não conseguem ter paz
Em uma distância
Nossos olhos são dengosos demais
Que não se consolam, clamam fugazes
Olhos que se entregam
Ilegais

Eu só sei que eu quero você
Pertinho de mim(...)

Te Amo

Lígia disse...

Que eu conto os dias, conto as horas pra te ver...

José Simonian disse...

Fazia tempo que não entrava no seu Blog.
Aliás essa sensação de estar por fora não é muito boa.
Gostei muito da metalinguística aplicada na seu texto.
Também gostei do comentário da Lígia,os termos empregados como "nossos olhos são dengosos demais"(acabei de receber sua mensagem e vai ser muito bom dormir com os seus beijos e sua saudação de "boa noite",eu amo vocês)

José Simonian disse...

Daniel.
Entrei no seu Blog para ver um texto novo .
Cadê....
Beijos
seu sempre fã.

Letii disse...

Pooow, Tô amandoo seus post's ;)

Danie Simonian disse...

Legal Letti!
É sempre bom achar gente que entende e gosta do que escrevo.
Mudei meu blog pro wordpress. Dá um passada por lá! ;)

Bjos.

danielsimonian.wordpress.com