sábado, 20 de setembro de 2008

Espremer ou não espremer.. a espinha

Como um adolescente, me vi incomodado com uma espinha. Não era pra menos, ela se acomodava bem no meio da minha boca!
Espremer ou não? Isso me rendeu alguns minutos da vida em sites de estética, ficando contente por não ser um daqueles maníacos que estouram as criaturas amarelas.
Minha vaidade já fora mais discreta, isso que me chamou mais a atenção. O incomodo não com a dor, mas com as pessoas com quem conversava, que por suas vezes faziam um certo esforço para que seus olhos a evitassem, era maior.
Talvez essa vaidade excessiva seja por estar sozinho mais uma vez, talvez seja por cuidar mais de mim, mas acredito que mesmo o menos vaidoso se incomodaria com essa situação.
É engraçado se sentir um estranho pelo simples fato de uma alteração estética, isso me possibilita entender aquelas pessoas que fazem as cirurgias de alto risco em busca de um corpo perfeito, que por sinal, às vezes ficam pior que se não mexido, mas enfim..
Será que estou mudando? Não mudo faz tempo, não me lembro direito da última novidade em mim. Dizem que a gente não muda no sentido de atitudes e incomodações (como no caso), mas sei lá se mudamos ou não, acho que nunca perguntei isso ao meu avô.
Esse atual sofrimento faz com que a gente pense antes de tirar sarro de alguém por alguma deficiência ou constrangimento temporário, em mim, na verdade, só fez reforçar essa idéia.
Não tem jeito mesmo, a gente tem que sentir na pele para aprender, parece meio clichê mas esse é daqueles que vale lembrar, uma criança só sabe que não deve enfiar o dedo na tomada ou colocar a mão no fogo, quando leva um choque ou uma queimadura.
A curiosidade que move isso, é uma das virtudes mais aplicadas pelo homem e isso que nos leva a descobrir as coisas.
Não espremi, demorou mas passou. O que teria acontecido se tivesse feito?
Fica pra próxima espinha..

10 comentários:

Jessica disse...

asuhasuha ...
espremer ou não espremer... eis a questão!!!!!

haha
;D
beijos

Anônimo disse...

Quando se muda, as atitudes e incomodações mudam junto sim...
Mas voltando a espinha, consegues ser mais dramático que eu! Nem era pra tanto!

Caio Simonian disse...

huahuahua
po, nao espremeu?
sei lá!
dei umas risadas com o texto :D
falou!

Turca disse...

eu tenho um creme árabe divino, na próxima te empresto amiguinho!!! hahahahaha

Carol Tavares disse...

Q legal seu blog!Muito bom!
Me identifiquei com o texto!
Nao queria nao!hehehehe
bjos

Gabriela disse...

Sou um desses maníacos que estouram criaturas amarelas. E eu adoro !! Será que um dia isso muda ?

Lê disse...

Dani,
acabei de espremer uma hoje!!!!
Beijosssss

*KuRaH* disse...

kkkkkkkkkkkkkkk
puxaaa espinhaa beem no meio da bocaa e pra acabaa nee naoo parcero?? =S

Euu teriaa espremidoo! U.U
kkkkkkkkkkkkkkkkk
Vcee tem controlee einn.

--@

Carlesso disse...

Legal o texto, tri bem escrito. Parabéns..

Letii disse...

Euu Não espremo'

Faz marquinhas no rosto depois, :$